Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

segunda-feira, 6 de junho de 2011

E o troféu de político inábil do ano vai para...

/ On : segunda-feira, junho 06, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
Serra foi um governador inábil, truculento, usou a polícia militar contra a polícia civil, contra professores, contra estudantes da USP, pôs a tropa de choque dentro da USP, usou-a contra vítimas de enchentes e contra toda e qualquer manifestação pública e pacífica.
Serra, mesmo com toda a blindagem da imprensa paulista e nacional, não conseguiu se eleger para a Presidência (TODOS COMEMORA*).
Cabral, tem longa história de repressão no Rio, até mesmo o de censurar um cartaz de Latuff sobre a violência institucional contra a população negra e pobre.
A repressão contra os bombeiros ontem é mais uma truculência para o seu currículo, desta vez, ele conseguiu irritar até mesmo seus apoiadores. Para além da inabilidade do discurso, chamando bombeiros que salvam vidas e seus familiares de ‘lumpesinato’, ‘vândalos’, ele permitiu cenas como esta aí embaixo estampada em O Globo depois que os bombeiros do Rio de Janeiro durante protestos contra os baixos salários tomaram o QG  da corporação, foram reprimidos pelo Bope e  presos em Niterói.
Foto de:  Marcelo Carnaval/Agência O Globo.
Cenas como estas são comuns em rebeliões de presídios no Brasil, mas acho que é a primeira vez que vemos bombeiros, os mesmos que salvam vidas durante as tragédias (incêndios, enchentes, deslizamentos) e no cotidiano de todas as cidades brasileiras, serem humilhados desta forma, obrigados a se ajoelhar, pôr as mãos na cabeça e a se submeterem ao Bope.
Li diferentes versões no twitter, uma delas argumentava que Garotinho em sua sanha fundamentalista teria incitado o protesto para desestabilizar o governo Cabral que avança em termos de combate à homofobia. É possível? Sem dúvida. Há políticos oportunistas para tudo.
Mas acho que a justificativa deste tipo de argumento simplifica muito a luta política. Bombeiros são sujeitos históricos e têm suas próprias reivindicações, reduzi-los à ‘manada’, massa de manobra sem vontade própria, é ignorar que eles também sabem que em seu justo direito de reivindicar por melhores salários e condições de trabalho fazem uso de disputas partidárias em suas lutas. De toda forma, a inabilidade de Cabral diante do protesto é inegável. O governador não foi capaz de negociação, em seu discurso e prática só expôs truculência: ao dizer que os bombeiros são lúmpens, Cabral assinou em baixo seu papel de governador capataz de fábrica da Inglaterra do século XVIII, afinal, quem paga um salário miserável pra profissionais tão indispensáveis ao socorro de vítimas?
PS. Aos xerifes da LP, a expressão TODOS COMEMORA não está correta de acordo com as convenções estabelecidas pela norma culta, trata-se de uma brincadeira do twitter, sabemos que sujeito deve concordar com o verbo.
PS2: Aqui link para duas matérias sobre a rebelião dos bombeiros
___________

extraído de: Maria Frô

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.