Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Central de Espionagem Tucana é desmascarada

/ On : sexta-feira, outubro 22, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
Terra Magazine
Dutra: "Tinha uma central de espionagem comandada pelo PSDB"
O presidente do PT, José Eduardo Dutra, contestou a versão do PSDB de que petistas e o presidente Lula estariam impedindo a divulgação de informações oficiais do inquérito da Polícia Federal sobre a quebra de sigilos de pessoas ligadas ao candidato tucano à presidência, José Serra. O ataque foi feito pelo presidente do PSDB, Sérgio Guerra, durante entrevista no Rio de Janeiro e publicado em nota na noite desta quinta-feira (21). Dutra rebateu que as quebras foram motivadas por uma "central de espionagem comandada pelo PSDB e pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB - RJ)" .
- O que o Sérgio Guerra não quer levantar é que o depoimento do Amaury fala que começou a investigar esse assunto porque tinha uma central de espionagem comandada pelo PSDB e pelo Marcelo Itagiba.
Saiba mais ....
 
Viomundo
Leandro Fortes, em CartaCapital: Quebra do sigilo de tucanos é fruto da guerra Serra-Aécio
Apesar do esforço em atribuir a culpa à campanha de Dilma Rousseff, o escândalo da quebra dos sigilos fiscais de políticos do PSDB e de parentes do candidato José Serra que dominou boa parte do debate no primeiro turno teve mesmo a origem relatada por CartaCapital em junho: uma disputa fratricida no tucanato
 
Viomundo
O que tem dentro da Operação Caribe?
Estão azedadas as relações entre o PSDB mineiro e o paulista. Considera-se que a trapalhada de Eduardo Jorge – divulgando partes do inquérito da Polícia Federal – espalhou lama por todos os poros.
Mas o que levaria EJ a esse gesto meio autofágico, de acessar o relatório e vazar partes selecionadas para a Folha de São Paulo?
Uma única hipótese. No inquérito da Polícia Federal, o jornalista Amaury Jr anexou o tal "Relatório Caribe", a extensa reportagem que escreveu para o Estado de Minas sobre os fluxos de dólares da privatização. É uma espécie de rascunho do seu livro – que, pelo acordo com a TV Record (que recentemente o contratou) só deveria ser publicado no próximo ano, para evitar exploração eleitoral
 
BOLINHA DE PAPEL X OBJETO INVISÍVEL NÃO IDENTIFICADO (FITA ADESIVA?)
Conversa Afiada
Professor desmoraliza fita adesiva do Jornal Nacional
O candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, diz ter sofrido agressões durante uma caminhada na zona oeste do Rio de Janeiro. Imagens mostram o que parece ser uma bola de papel atingindo a cabeça do tucano. O presidente Lula foi taxativo ao classificar o fato e disse que a atitude foi produzida pela equipe de publicidade do candidato e é vergonhosa
 
Escrevinhador
Serra e as bolinhas do Kamel - por Mauro Carrara
(Consórcio Folha-Globo cria objeto transparente e invisível para enganar o eleitor: colisão na cabeça do Serra é diferente da apontada pelo candidato em sua encenação teatral)
Boa parte dos jornalistas presentes, inclusive aqueles do próprio SBT, sustentam que Serra não foi alvejado uma segunda vez.
Nas ruas, nas praças, nas construções: a Rede Globo de Televisão causa estarrecimento, repulsa e vergonha alheia.
Nesta eleição presidencial, seguindo o exemplo dos jornais Folha de S. Paulo e Estadão, bem como dos veículos midiáticos da editora Abril, a empresa da família Marinho transformou sua programação em complemento desesperado e mal disfarçado da propaganda de José Chirico Serra e do PSDB.
Ao perceber o crescimento de Dilma Rousseff na preferência do eleitorado, o comando tucano resolveu tentar soluções “heterodoxas”, isto é, gerar fato novo que desviasse a atenção das vulnerabilidades da campanha serrista, como o caso Paulo Preto e a entrega anunciada de Itaipu, Banco do Brasil e Petrobrás a piratas de agência de pilhagem como a Warburg Pincus.
Leia a matéria completa

Jornal da Record - 21/10/2010
Lula chama de “farsa” e “mentira descarada” a agressão que José Serra diz ter sofrido no Rio
O candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, diz ter sofrido agressões durante uma caminhada na zona oeste do Rio de Janeiro. Imagens mostram o que parece ser uma bola de papel atingindo a cabeça do tucano. O presidente Lula foi taxativo ao classificar o fato e disse que a atitude foi produzida pela equipe de publicidade do candidato e é vergonhosa

Terra
Jogo online "recria" ataque a Serra com bola de papel
Usuários da Internet criaram um jogo para simular a agressão que Serra sofreu durante campanha no Rio de Janeiro


Acerte o alvo
Joguinho na internet com bolinhas de papel
Veja se você é bom de pontaria
 
NEPOTISMO E APADRINHAMENTO POLÍTICO NA GESTÃO SERRA
Jornal da Tarde - 22/10/2010
Irmã de Soninha atua no cerimonial do Palácio dos Bandeirantes do governo paulista
Além da filha mais velha, uma irmã da ex-subprefeita da Lapa e coordenadora de comunicação da campanha presidencial do ex-governador José Serra (PSDB) na internet, Soninha Francine (PPS), também está nomeada em cargo de confiança (sem concurso público) no governo paulista.
Tânia Esther Gaspar Simões, de 25 anos, ocupa, desde março de 2009, posto de diretor técnico II (R$ 3,5 mil) na equipe de cerimonial do Palácio dos Bandeirantes, onde também trabalha, em cargo comissionado, a jornalista Tatiana Arana Souza Cremonini, filha do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, pivô de escândalo no PSDB por suspeita de ter desviado R$ 4 milhões da campanha de Serra. Ele nega.
Na quinta-feira (21), o JT revelou que a filha de Soninha, a bióloga Rachel Marmo Azzari Domenichelli, de 26 anos, é assistente técnica da Coordenadoria de Educação Ambiental, da Secretaria do Meio Ambiente, desde 2007. Segundo o governo, ela foi “efetivada” na pasta depois de ter feito dois anos de estágio na Companhia Ambiental de São Paulo (Cetesb).
Desde julho de 2009, Soninha é conselheira de administração da Cetesb, posto pelo qual recebe R $ 3,5 mil de jetom – verba paga por cada reunião do conselho –, conforme revelou o JT na última quarta (20). Na ocasião, ela negou que sua indicação teve motivação política. “Ninguém me perguntou a qual partido eu era filiada, mas sabiam da minha experiência na área ambiental”, disse
 
PESQUISAS: COM O PÉ ATRÁS
(A pesquisa efetiva é a da apuração final dos votos. Serve para balizar a campanha, mas não garante vitória)
 
Reuters
Dilma aumenta vantagem sobre Serra, aponta Datafolha
SÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, aumentou sua vantagem sobre o adversário, José Serra (PSDB), na corrida presidencial, apontou pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira.
Dilma tem 50 por cento das intenções de voto no segundo turno da eleição presidencial, enquanto Serra aparece com 40 por cento. De acordo com o levantamento, publicado pelo jornal Folha de S.Paulo, 4 por cento dos entrevistados declararam voto nulo ou branco e 6 por cento responderam que não sabem
 
MENTIRAS E BAIXARIAS PELA INTERNET CONTINUAM
BBC Brasil
Assessor de Dilma na web diz que mentiras mancharam campanha
O coordenador de internet da campanha de Dilma Rousseff (PT), Marcelo Branco, diz que o peso da internet está sendo “a grande novidade” desta eleição, com milhões de eleitores “podendo se expressar” pelos canais virtuais.
Mas segundo ele, o excesso de “boatos” e de “informações falsas” sobre a candidata petista “mancharam” o processo democrático, sobretudo no 1º turno.
“Não posso deixar de registrar um repúdio a esse tipo de atitude, porque isso não é campanha política. Isso é bandidagem”, diz.
“São apoiadores do Serra em sua maioria, uma campanha que baseou toda a sua estratégia na disseminação de boatos e mentiras. Essa parte foi muito negativa para a eleição no Brasil", acrescenta.
Leia a entrevista
 
Terra - 21/10/2010

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.