Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Caos no Detran: controle de documentos por digital não funciona

/ On : quinta-feira, outubro 21, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
A partir de novembro, o serviço de emissão de documentos do Detran corre o risco de travar. É que, nessa data, está previsto para ser implantado em todo o Estado, com exceção da Capital,  o sistema de controle por digitais, o E-CNH. O projeto está em vigor desde maio em 36 cidades da Grande São Paulo e apresenta problemas, segundo o Sindicato das Auto Escolas e Centro de Formações de Condutores do Estado de São Paulo.

"A maior dificuldade é validar a digital. O sistema nunca está disponível e o aluno que assistiu à aula tem de fazer tudo de novo", diz o presidente do sindicato, José Guedes Pereira.

Para provar que assistiu às aulas, práticas e teóricas, o aluno tem que deixar sua digital gravada no sistema até 49 minutos antes do início e 49 minutos depois. "O que mais acontece é que, no final da aula, quando o sistema retorna, o tempo já se esgotou", afirma Pereira. Segundo ele, cada classe tem, em média, 30 alunos.

O presidente do sindicato reclama também da falta de suporte técnico. "Quando a gente liga para o 0800 da Prodesp (a empresa estatal que administra o sistema), a pessoa só fornece número de protocolo e o caso fica sem solução."

Caso de polícia
Em Guarulhos, a associação das auto-escolas da cidade até contratou um advogado para cuidar de boletins de ocorrência e reclamações de alunos no Procon. "A maioria fica revoltada, e com razão, quando avisamos que a aula não tem valor, por culpa do sistema. Aí vai buscar seus direitos na polícia ou no órgão de defesa do consumidor", afirma o presidente da entidade, Émerson Cavadas.

Segundo ele, outro problema frequente é o aluno ter que esperar até uma semana para fazer exame médico porque, apesar de ter gravado seus dados no órgão de trânsito da cidade, o sistema demora para processá-los e enviá-los aos setor responsável. "A primeira carta leva, em média, dois meses para ficar pronta", afirma.

Em São Bernardo, o sistema não funciona aos domingos já há um mês. "Era um dia para repor aulas e o aluno não entende que o seu tempo foi perdido?", diz Neuclair Silvestrini, fundador do segundo maior centro de formação do estado . 

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.