Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

terça-feira, 25 de maio de 2010

Metroviários de São Paulo decretam estado de greve

/ On : terça-feira, maio 25, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

São Paulo – Sem avanços na negociação salarial com a direção da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), os metroviários decidiram entrar em estado de greve e intensificar a campanha salarial, que começou no início de maio.
A decisão foi tomada pelos trabalhadores em assembleia no dia 20, depois de rejeitarem proposta de reajuste de 5,05% apresentada pela empresa.
A categoria reivindica reajuste salarial de 5,81%, aumento real de 4,25%, e reajuste de 6,18% para o vale-alimentação e vale-refeição. O Sindicato dos Metroviários de São Paulo reclama que a empresa também não apresentou um plano de carreira, "que é uma das mais importantes e antigas reivindicações da categoria, nem soluções para acabar com as diferenças entre os salários dos funcionários que exercem as mesmas funções".
Outro problema, segundo o sindicato, é o excesso de horas extras. A jornada máxima da categoria deveria ser de 8 horas diárias, mas o limite é ultrapassado constantemente, indica o sindicato. "Se a categoria se recusar a fazer hora extra, certamente não haveria empregados para prestar serviços à população durante todo o funcionamento do Metrô", afirma a entidade, em nota.
"É importante ressaltar que o número de usuários quase triplicou nos últimos anos e a quantidade de metroviários permanece praticamente a mesma", critica o sindicato.



Publicado em 25/05/2010, 18:45
Última atualização às 19:12

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.