Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Estatísticas da segurança pública do Estado de SP são inseguras.

/ On : sexta-feira, maio 06, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
(do Transparência SP)

Fomos bombardeados por notícias positivas sobre a segurança pública no Estado, com a divulgação de estatísticas que anunciavam a queda dos homicídios em relação a 2010.
Este blog já havia alertado para as "maquiagens" nas estatísticas.
Agora, a Folha de SP foi apurar e descobriu o que já sabíamos: os latrocínios cresceram na cidade de SP, ao contrário dos números oficiais divulgados.
É lógico que esta notícia foi pouco repercutida.
Para o cidadão comum, vivemos em uma "ilha de segurança".

Ao contrário de dado oficial, latrocínios cresceram na cidade.

Sem contabilizar sete casos, governo divulgou que capital paulista teve uma queda de 12% de roubo seguido de morte
Em um dos casos, morte de vítima é relatada no boletim de ocorrência, mas aparece só como roubo em estatística

(da Folha de SP, por André Caramante)
Ao contrário do que anunciou o governo de São Paulo no dia 15 deste mês, os latrocínios (roubos seguidos de morte) na capital paulista subiram ao menos 16%. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) havia apontado queda de 12% desse tipo de crime.
O chefe da Polícia Civil, delegado Marcos Carneiro Lima, admitiu ontem existir uma falha a ser corrigida nos registros de boletins de ocorrência para evitar distorções.
Segundo a divulgação da Secretaria da Segurança Pública, a cidade de São Paulo teve 22 latrocínios no 1º trimestre deste ano contra 25 no 1º trimestre do ano passado.
Porém, ao menos sete latrocínios ocorridos neste ano ficaram de fora da contabilidade oficial. A maior parte foi registrada só como "roubo".
Com a inclusão dos casos não computados, os latrocínios subiram de 22 para 29 (30 vítimas, pois um caso teve dois mortos) só na capital.
A inclusão dos casos muda também a estatística no Estado. Agora, registra um aumento de 12%, e não de 2,5%, como divulgado.
O latrocínio contra o pizzaiolo José Arteiro Morais, 43, na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte, em 2 de março, é narrado com detalhes pelo delegado Thiago Reis no BO n.º 2.028/ 2011, do 72º DP.
"O autor do delito pediu dinheiro para a vítima e, após ela ter falado que não tinha, o autor ordenou que a vítima se ajoelhasse, momento este que desferiu-lhe um tiro no rosto, não levando nenhum pertence da vítima (sic)". Esse caso constava como "roubo" na estatística.
Ao consultar as estatísticas sobre latrocínios na área do 72º DP, na página da Segurança Pública na internet, o número divulgado é zero.
O mesmo ocorreu no caso do estudante de publicidade Nicholas Marins Prado, 20, morto com um tiro na cabeça por um ladrão que roubou seu carro na Vila Mariana, em 4 de março. A estatística oficial da delegacia da área, o 36º DP, onde o crime segue sem solução, aponta só um latrocínio no 1º trimestre deste ano, o de um homem atacado ao sair de um banco.

SECRETARIA MUDA PARTE DOS NÚMEROS

O governo começou a corrigir parte das estatísticas divulgadas no dia 15. Em todas, houve pequeno aumento de casos. O número de roubo de veículos no Estado, por exemplo, passou de 18.440 para 18.610 no trimestre. Os latrocínios ainda não foram corrigidos.

"Vamos corrigir essa falha", diz chefe da polícia
O chefe da Polícia Civil de São Paulo, delegado Marcos Carneiro Lima, afirmou que irá criar uma normatização para evitar falhas no registro dos latrocínios no Estado.
"Existe uma falha, mas nós vamos corrigir. A partir de agora, vamos cobrar mais atenção dos delegados nos registros desse tipo de crime", disse o delegado-geral.
De acordo com Lima, as estatísticas oficiais sempre são aprimoradas ao longo das investigações de cada crime e, muitas vezes, um caso registrado inicialmente como tentativa de homicídio ou lesão corporal dolosa passa a ser tratado como homicídio.
"A alteração estatística é feita posteriormente", disse.
A Secretaria da Segurança Pública foi questionada sobre quantos casos de roubo registrados em 2010 foram alterados depois para latrocínio, mas não se manifestou.
A pasta também não respondeu quantas tentativas de homicídio e lesões corporais intencionais evoluíram para homicídio doloso.
O governo paulista mudou o sistema de divulgação de estatísticas neste ano. Além de detalhar os crimes por delegacias das cidades, a Secretaria da Segurança Pública promete divulgar dados mensais sobre a violência no Estado de São Paulo.

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.