Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Governo de SP adia mais uma vez entrega de obra que se arrasta desde 1996

/ On : sexta-feira, setembro 24, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
 O governo de São Paulo adiou  a inauguração da ampliação do complexo viário Jacu-Pêssego, que ligará a zona leste de São Paulo, a partir da rodovia Ayrton Senna, ao ABC paulista. No início da semana, o secretário de Estado dos Transportes, Mauro Arce, havia confirmado a abertura para sábado (25). Não há mais data definida nem explicação para o adiamento. A obra está orçada em R$ 1,9 bilhão.
A previsão é de que 40 mil veículos circulem por dia no trecho, que vai funcionar como um minianel viário, tirando caminhões do centro de São Paulo e da marginal do Tietê, fazendo as vezes do trecho leste do rodoanel, atualmente em licitação.
O prolongamento da avenida se arrasta desde 1996, quando o então prefeito Paulo Maluf inaugurou o primeiro trecho da Jacu-Pêssego. Para a fase atual, a previsão inicial era abrir para o tráfego junto com a inauguração do trecho sul do rodoanel, em abril. Os 13,2 km da via são de responsabilidade da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), empresa do governo estadual.
A obra não está finalizada. Apesar de parte da sinalização já estar pintada no chão, não há placas nem semáforos. No canteiro central, o cenário é de muitas pedras. A via também não tem retornos e as entradas para outras avenidas não estão prontas.
Também não há faixa para pedestres e as duas passarelas estão em construção. Por fim, a iluminação está deficiente e, em alguns trechos, postes ainda estão sendo instalados.
*Com informações de O Estado de São Paulo

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.