Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Com base em 2006, Mercadante diz confiar em 2º turno

/ On : sexta-feira, setembro 24, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

Há quatro anos, "o Datafolha dizia que eu tinha 22% e o Ibope 23%, e eu tive 32% dos votos válidos", disse o petista

 

Agência ESTADO
 O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, disse nesta quarta-feira ao desembarcar em Bauru, no interior do Estado, que acredita na sua passagem para o segundo turno porque atualmente tem melhor posição que nas eleições passadas. "Em 2006 o Datafolha dizia que eu tinha 22% e o Ibope 23%, e eu tive 32% dos votos válidos."


Hoje, com mais os outros candidatos, eu já estou acima dos níveis daquela época. Tanto eu estou absolutamente seguro e ele (o Alckmin) também que ele não faz outra coisa a não ser me atacar no programa gratuito, porque no debate ele não mantém a mesma coerência nem a mesma coragem."
"Vamos mostrar, a partir de agora, que muitas propostas do Alckmin são iguais a franco de padaria (roda, roda e não sai do lugar). Tem promessas que ele já fez dez vezes e continua apresentando para a população, como se o povo não tivesse memória", disse o petista, sem especificar quais seriam essas promessas. Na sua opinião, "quanto mais perto chegar da eleição, mais se vai comparar o governo do PSDB com os do PT e, se a crise internacional para o Brasil foi uma marolinha, a nossa vitória no Brasil será um tsunami."
Para o candidato, os acontecimentos envolvendo a demissão da ex-ministra Erenice Guerra da Casa Civil e todo o esquema que havia em torno dela não influenciarão na campanha. "As pesquisas já saíram depois da crise, nós continuamos crescendo e eles continuam caindo. A campanha do Serra (José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB) é hoje uma campanha desesperada, que não tem o que apresentar ao Brasil para motivar os eleitores", disse.
"Eles não têm argumentos e tentam ofuscar o que é o centro da disputa. São duas experiências de governos, FHC (Fernando Henrique Cardoso)-PSDB e Lula-PT, que estão disputando ou a continuidade do governo Lula ou a volta do governo do PSDB, e o povo já fez a escolha. Quanto mais a gente apresenta os nossos argumentos, mais crescemos", completou.
Mercadante esteve acompanhado do senador Eduardo Suplicy, com quem caminhou no final da tarde pelas sete quadras do calçadão de Bauru. O trajeto foi encerrado na frente da estação ferroviária. Os candidatos ao Senado Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB) não compareceram porque tiveram de viajar de Marilia para Brasília, onde foram gravar programas eleitorais junto com o presidente Lula.



Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.