Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Audiência não chega a acordo e greve de ônibus na Grande SP continua

/ On : quinta-feira, junho 02, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
Laís Camargo
Terminou sem acordo a audiência de negociação realizada nesta quinta-feira. Os motoristas de ônibus da EMTU, que atuam na Grande São Paulo, continuam em greve até pelo menos a manhã desta sexta.
Na audiência, a juíza Sônia Franzini, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), elaborou proposta aceita pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), mas que deve ser discutida pelo Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC em assembleia marcada para as 9h de amanhã.
Na proposta da juíza, os trabalhadores receberiam 7,8% de reajuste no salário, mais 7,8% de aumento no vale-alimentação. A proposta traz menos benefícios do que elaborada antes pela EMTU e que foi retirada pela empresa devido à decisão dos trabalhadores pela greve. Nesta proposta inicial, a EMTU oferecia reajuste de 8% nos salários e 10% no vale-alimentação, mais R$ 1.500 para os trabalhadores que exercem dupla função de motorista e cobrador.
Além da proposta dos 7,8%, Franzini modificou a decisão judicial sobre a circulação de ônibus durante a greve --antes, 80% da frota deveria circular no horário de pico. Agora, com a nova decisão, 80% dos ônibus devem estar em operação durante todo o dia.
A juíza sorteou o desembargador Celso Furtado de Oliveira para julgar a proposta dos 7,8% e o pedido do Ministério Público de multar o sindicato em R$ 200 mil, pelo descumprimento da decisão judicial sobre a circulação da frota.
Pela manhã, oficiais de Justiça percorreram os terminais e constataram que a decisão não foi respeitada. Segundo relatório da EMTU, das 222 partidas programadas, apenas 74 ocorreram --33%.
CPTM
Funcionários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também estão em greve. Ontem, a categoria já tinha paralisado as atividades parcialmente, afetado as linhas 12-Safira e 11-Coral. Hoje, a greve se estendeu às demais linhas, atingindo as 89 estações da CPTM, que atendem 22 cidades da região metropolitana.
Com a greve nos trens, muitas pessoas estão recorrendo ao metrô, provocando lotação nas estações.
Para minimizar os problemas com a greve, a SPTrans (empresa que gerencia o transporte em SP) prolongou até o metrô Itaquera o itinerário de 21 linhas que levam regularmente passageiros à estação Guainazes e três que atendem a estação José Bonifácio.
A audiência entre a companhia e os sindicatos dos ferroviários terminou sem definição sobre o fim da greve. Uma nova reunião entre as duas partes deve acontecer ainda nesta quinta-feira no TRT.
Com informações da Folha

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.