Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

domingo, 3 de abril de 2011

Fifa nega que tenha local de abertura; cidade de São Paulo tenta ganhar "no grito"

/ On : domingo, abril 03, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

Fifa nega que tenha local de abertura

Autor(es): Luiz Roberto Magalhães
Correio Braziliense - 01/04/2011
 


COPA 2014
Maior entidade do futebol mundial e Comitê Organizador desmentem notícias veiculadas na imprensa paulista e Brasília segue no páreo para receber o jogo inaugural
 
Tanto o Comitê Organizador Local (COL) para a Copa do Mundo de 2014 quanto a Federação Internacional de Futebol (Fifa) desmentiram as informações publicadas na imprensa paulista ontem, que deram conta de que São Paulo havia sido confirmada como sede da abertura do Mundial no Brasil e que o Rio de Janeiro sediaria a decisão do torneio.

A notícia foi rebatida prontamente por Rodrigo Paiva, diretor de comunicação do COL, que ironizou as inúmeras publicações de que São Paulo já está garantida para receber a abertura da Copa. “A matéria que foi publicada não tem ninguém nem da Fifa e nem do COL falando. Já é o centésimo anúncio de que São Paulo vai abrir a Copa. Não tem nada definido sobre isso”, declarou Paiva. “Se tivesse havido um anúncio de onde seria a abertura, você acha que a Fifa faria isso por meio da imprensa paulista e não em seu site oficial? A Fifa tem até dois anos antes da Copa para fazer esse anúncio e, por enquanto, não há qualquer definição. Brasília, São Paulo, Salvador e Belo Horizonte continuam pleiteando a abertura e o quadro é o mesmo”, continuou.

Rodrigo Paiva foi além e afirmou que a entidade ainda não definiu o calendário para a competição no Brasil e que, por conta disso, não é possível dizer quantos jogos cada uma das cidades-sedes receberá. “Não tenho a menor ideia de quantos jogos São Paulo vai receber. Nem eu e nem ninguém. A tabela sequer está pronta”, explicou.

Ele esclareceu que a entidade trabalha com um número mínimo de quatro confrontos para cada uma das 12 cidades-sedes, mas que isso também não está fechado. “É um número no qual se tem trabalhado, mas nem isso está definido.”

Por meio de sua assessoria no Brasil, a Fifa emitiu um comunicado em que reforçou as declarações de Rodrigo Paiva. “A Fifa e o Comitê Organizador Local esclarecem que o calendário de jogos ainda está em processo de estudos e será finalizado pelas equipes de competições posteriormente. A proposta definitiva será apresentada em 29 de julho, na 1ª reunião do Comitê Organizador da Copa do Mundo da Fifa e será anunciada oficialmente após essa reunião”, diz o texto.

Obras em São Paulo só começam em maio

Correio Braziliense - 01/04/2011
 
Nesta semana, o assunto Copa do Mundo no Brasil voltou à tona por conta das críticas abertas que o presidente da Fifa, Joseph Blatter fez sobre o cronograma de obras no país. Segundo Blatter, “a Copa do Mundo é amanhã e os brasileiros pensam que é depois de amanhã”. Mais do que isso, o dirigente declarou que devido aos atrasos nas obras em São Paulo, cujo estádio do Corinthians nem sequer saiu do papel, e no Rio de Janeiro, as duas cidades correm o risco de não estarem prontas para receber jogos da Copa das Confederações, em meados de 2013, evento que serve de teste para a Copa do Mundo de 2014.

As declarações de Blatter serviram para pressionar ainda mais São Paulo para que os trabalhos da arena corintiana, em Itaquera, Zona Leste da capital paulista, comecem o mais rápido possível. A intenção é que as obras tenham início este mês, mas a própria imprensa paulista admite que a empreitada só deve começar, de fato, em maio.

O projeto do estádio do Corinthians encontra alguns problemas sérios. Primeiro, o orçamento inicial, de cerca de R$ 600 milhões, já não vale, uma vez que os cálculos dão conta que a empreitada consumirá cerca de 20% a mais do que o imaginado. Além disso, há um outro entrave operacional que pode complicar os trabalhos: os dutos subterrâneos da Transpetro, que passam pelo terreno da arena paulista e são usados para transportar óleo combustível. De acordo com um comunicado divulgado recentemente pela Transpetro, “até o momento, a principal opção em estudo é a construção de um desvio nas tubulações para uma área adjacente.”

Os valores da operação de desvio dos dutos divergem. O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, afirmou que o preço seria R$ 2,2 milhões. O ministro do Esporte, Orlando Silva, avaliou as obras em R$ 30 milhões, valor que foi confirmado, segundo o site iG, pela própria Transpetro.

Vontade de ganhar no grito

Autor(es): Gustavo Marcondes
Correio Braziliense - 01/04/2011
 
A cidade de São Paulo já foi “anunciada” como a sede da abertura da Copa do Mundo de 2014 diversas vezes. Mas a Fifa até o momento não se pronunciou nem a favor nem contra qualquer uma das postulantes: São Paulo, Brasília, Salvador e Belo Horizonte.

O lobby começou na época em que o Morumbi era o favorito para ser o representante paulista na Copa. Mas se intensificou depois que o Corinthians ganhou a disputa política com o São Paulo e teve o seu futuro estádio credenciado para o Mundial.

Em 27 de agosto passado, o Governo de São Paulo “confirmou abertura da Copa-2014 em novo estádio do Corinthians”. A decisão teria sido tomada, conforme veiculado na imprensa, em reunião entre Ricardo Teixeira, presidente da CBF, e o então governador Alberto Goldman. Três dias depois, o próprio Goldman reafirmou que a arena seria o palco do primeiro jogo, mas que ainda dependia de “verba extra”.

No mês seguinte, foi a vez do presidente da CBF ir a público garantir o Itaquerão na abertura. “Temos o desejo e a definição de que haverá esse novo estádio em São Paulo para começar a participação na Copa”, afirmou Teixeira, em entrevista à TV Globo. Ciente da falta de dinheiro para levantar um estádio para 65 mil pessoas , ele afirmou que poderia haver dinheiro público para ajudar o Corinthians nas obras, o que não era previsto pelo Comitê Paulista.

Em outubro, foi a vez do Ministro do Esporte, Orlando Silva, entrar na campanha pró-São Paulo. Ele disse que “todos avaliam que é a cidade que reúne as melhores condições para fazer a abertura da Copa”. Mesmo ressaltando que a capital paulista ainda não possuía estádio, afirmou confiar na estrutura que o município dispõe. No mesmo mês, o jornal Estado de São Paulo publicou que a Fifa já havia batido o martelo com relação ao local do jogo inaugural, citando reunião do secretário-geral da entidade, Jeróme Valcke, com Ricardo Teixeira.

De lá para cá, o próprio Teixeira, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, secretários do Estado e até mesmo a presidente da República, Dilma Roussef, reforçaram a “escolha” da capital paulista como a sede da abertura da Copa. A Fifa, no entanto, nunca confirmou.

Na única ocasião em que a Fifa falou sobre o assunto, em 3 de março deste ano, o presidente Joseph Blatter irritou-se. “Acabamos de ter a primeira reunião do comitê organizador e não foi decidido onde a partida de abertura será disputada. A decisão sobre o estádio escolhido deverá ser esportiva , não política”, declarou.

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.