Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Procuradoria Eleitoral de SP apura irregularidade em doação de R$ 700 mil a campanha de Alckmin

/ On : terça-feira, janeiro 11, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
Empresa de engenharia responsável pelo repasse tem contratos com a Petrobras
Da Agência Brasil, com R7


A PRE (Procuradoria Regional Eleitoral) em São Paulo entrou com representações na Justiça Eleitoral do Estado contra 17 candidatos eleitos no ano passado para apurar supostas irregularidades cometidas na captação de recursos para suas respectivas campanhas. Uma das ações diz respeito ao governador Geraldo Alckmin, acusado de receber R$ 700 mil em uma doação ilegal.

Se a irregularidade no repasse for comprovada, o tucano correrá o risco de perder o mandato. A Procuradoria alega que a UTC Engenharia, empresa com sede em São Paulo que doou à campanha, tem contratos com a Petrobras no Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Bahia.

O repasse, de R$ 700 mil, foi feito ao comitê financeiro do PSDB, que o encaminhou à campanha de Alckmin. A legislação eleitoral não permite que concessionárias de serviço público contribuam com dinheiro a campanhas.

Em nota, a PRE-SP afirma que “o mero ajuizamento das ações não implica em juízo de responsabilização direta de quaisquer dos candidatos, mas apenas a deflagração do procedimento legalmente previsto para a apuração dos fatos, permitindo a colheita de provas e a defesa dos candidatos eleitos”.

A assessoria do PSDB de São Paulo disse que o partido só irá se manifestar após ser notificado oficialmente, o que ainda não ocorreu. Ainda assim, reiterou que as contas da campanha de Alckmin já haviam sido aprovadas pela Justiça Eleitoral paulista

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.