Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Governo Alckmin faz encenação e finge incorporar propostas derrotadas nas urnas.

/ On : quarta-feira, janeiro 19, 2011 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com
(do Transparência SP)

Nesta última eleição para o governo do Estado de SP, o candidato governista do PSDB fugiu como pôde de alguns temas polêmicos propostos pelos candidatos oposicionistas.
O abuso dos pedágios, o fracasso do sistema de progressão continuada no ensino fundamental e a questão da retomada do transporte ferroviário no Estado foram alguns dos temas abordados pela oposição e que o candidato governista tentou evitar a todo custo.
A julgar pelo resultado das eleições, a maioria da população paulista não entendeu serem estes temas realmente relevantes, uma vez que não são recentes e o mesmo bloco político governa o Estado a 16 anos.
O interessante é que passadas as eleições, o governo Alckmin começa a anunciar projetos que parecem uma verdadeira "confissão de culpa", mas não passam de encenação política. 
Num dia, o Secretário de Transporte Metropolitano diz que o Trem de Alta Velocidade (do governo federal) é fundamental, e deve ser interligado a novas linhas de trens rápidos por todo o interior. Outro dia, o governo anuncia que fará a revisão de todos os contratos de concessão das rodovias, mas não sabe se as tarifas cairão ou subirão ainda mais.
Finalmente, os jornais noticiam que o governo estadual planeja modificar o sistema de progressão continuada no ensino fundamental. Perfumarias à vista.
Alguma coisa está muito errada no processo político eleitoral em São Paulo.
Em "democracias maduras", o programa de governo do partido vitorioso nas eleições é implantado, enquanto os partidos derrotados vão para a oposição fiscalizar. Aqui, o partido vitorioso foge do debate eleitoral e finge implantar o programa de governo dos derrotados.
Esta é a democracia paulista, com a grande imprensa interditando o debate no Estado antes das eleições para depois fingir que os problemas serão resolvidos pelos mesmos que não o fizeram nos últimos 16 anos.

Segue abaixo matérias nos jornais dando conta destes acontecimentos:

(da Folha de SP)
Governo estadual vai rever pedágios até o fim do ano

Todos os 18 contratos com concessionárias serão analisados, mas governador diz que não sabe se tarifas vão diminuir ou aumentar
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que a análise dos contratos das concessionárias das rodovias terá início "imediato" e o resultado - com uma posterior revisão nos valores - sairá com certeza no primeiro ano de sua gestão. O tema foi um dos mais polêmicos na eleição para o governo estadual e o então candidato tucano garantiu que iria promover uma "correção".
"É imediato esse trabalho de analisar contrato por contrato, respeitando o contrato, mas verificando o equilíbrio econômico e financeiro", disse o governador, na manhã de ontem, após reunião com os secretários no Palácio dos Bandeirantes.
Alckmin disse que não iria antecipar as medidas que pretende adotar. A atual gestão vai esperar o resultado das análises, pois, segundo o governador, há a possibilidade de que o equilíbrio do contrato não aponte necessariamente para a redução dos valores. "Nós não vamos antecipar nada, até porque o equilíbrio financeiro pode ser a favor do governo ou da concessionária. Tudo isso vai ser analisado." Alckmin só foi taxativo quando perguntado se a revisão seria no primeiro ano da gestão: "Claro."
Durante a campanha, o então candidato havia informado que promoveria a redução em alguns casos específicos para corrigir algumas distorções. Ele citou o caso de cidades da região de Campinas, como Paulínia e Jaguariúna, onde motoristas transitam por um trecho muito pequeno e pagam tarifa inteira. "Vamos fazer uma redução ou uma modificação do local", disse em entrevista ao Estado no dia 3 de outubro.
O candidato declarou que os contratos seriam analisados para verificar a hipótese de equilíbrio favorável ao Estado. "Se tiver espaço, em vez de exigir obras, podemos reduzir tarifa."

(da Folha de SP)
Alckmin vai mudar a progressão continuada na rede de ensino a partir de 2012.

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu alterar a progressão continuada na rede estadual de ensino. A principal mudança deverá ocorrer no sistema de reprovação dos estudantes.
Hoje, o aluno do fundamental só pode repetir ao final do quinto e do nono ano. A ideia é que a retenção ocorra também no terceiro ano. Assim, o número de ciclos sobe de dois para três. A antecipação da reprovação permite que o aluno com sérias dificuldades seja recuperado mais rapidamente (em vez de demorar cinco anos para refazer uma série, passe a ser depois de três).
A Folha apurou que já está finalizado estudo com o novo desenho do programa. "Pessoalmente, acho que vamos ficar mesmo com três ciclos", afirmou o novo secretário-adjunto da Educação, João Cardoso Palma Filho, ao ser indagado pela reportagem. Ele ressaltou, porém, que o assunto ainda está em análise na secretaria.

(do Agora SP)
Trens regionais.

(O Secretário Jurandir) Fernandes já declarou "apoio incondicional" ao trem-bala, bandeira dos petistas Lula e Dilma.
Mais que isso: planeja fazer dos trens regionais com velocidade de 180 km/h, complementares e em sintonia com a proposta do TAV (Trem de Alta Velocidade) do governo federal, a principal "marca" dos transportes do atual mandato.
"O que sonho como marca do Geraldo? A volta dos trens regionais", revelou o novo secretário à reportagem, sobre projetos já em andamento para retomar trechos ferroviários ligando capital-litoral e capital-interior em menos de uma hora.
Os quatro trens de passageiros considerados essenciais por ele ligam São José dos Campos-SP, Campinas-SP, Sorocaba-SP e Santos-SP.

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.