Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Falha em equipamento do Metrô fecha portões da estação Barra Funda

/ On : sexta-feira, dezembro 10, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

Por causa do problema, as estações do ramal sofrem com a lotação de usuários
Do R7


Fernando Gazzaneo/R7Fernando Gazzaneo/R7
A estação Barra Funda, na região central de São Paulo, ficou lotada após falha no Metrô


Falha em um equipamento do Metrô faz com que os trens circulem com velocidade reduzida entre as estações Sé e Patriarca, da linha 3-Vermelha no início da noite desta sexta-feira (10). Por causa do problema, as estações do ramal sofrem com a lotação de usuários. Por volta das 19h20, na estação Barra Funda, na região central da capital, os portões foram fechados e a venda de bilhetes foi suspensa por causa do problema.

Às 20h30, a entrada de usuários na estação era controlada por funcionários do Metrô, que davam preferência para pessoas idosas e mulheres com crianças. Poucas pessoas passavam por uma fresta aberta no local. Havia empurra-empurra e a plataforma permanecia lotada.

Os trens que partiam da estação Barra Funda por volta das 20h40 seguiam com poucas pessoas. Já na plataforma Marechal Deodoro, também na região central de São Paulo, o movimento era tranquilo.

A auxiliar de limpeza Josefa Bispo, de 57 anos, estava no local por volta das 19h45 e tentava ir para casa desde as 17h45, quando saiu do local onde trabalha no Vale do Anhangabaú. Ela tentou ir até a estação Barra Funda mas ficou presa no local.

- É um absurdo isso que está acontecendo. Estou trabalhando desde as 7h e preciso voltar para cuidar da minha casa. A gente paga muito caro pra viver uma situação como essa. Agora só Deus sabe que horas eu vou chegar em casa.

O servidor público André Kameda estava na estação Sé por volta das 20h e já esperava para pegar o metrô há cerca de 40 minutos. Ele conta que a plataforma estava lotada e um homem chegou a desmaiar.

- Está um caos. A estação está lotada de gente sentada no chão. Os trens chegam em um intervalo de sete minutos e só entram umas cinco pessoas conseguem entrar por vez.

Ainda segundo o Metrô, a contenção do fluxo acontece em todas as estações da Linha Vermelha e parte das catracas podem ser fechadas. A equipe de manutenção já está no local para reparar a falha. Todos os usuários estão sendo informados da ocorrência por meio do sistema sonoro dos trens e das estações.

Por causa da falha, a CPTM estendeu o horário de pico nas linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 10-Turquesa (Luz-Rio Grande da Serra), 11-Coral e 12-Safira (Brás-Calmon Viana). Os intervalos se manterão reduzidos até que a demanda de usuários diminua.

Espera e cansaço


A diarista Eugênia Aparecida Cunha saiu do trabalho às 18h20, percebeu que tinha muita gente na estação e resolveu pegar um ônibus. Ela lamenta porque, para chegar ao bairro da Saúde de coletivo, vai demorar muito.

Os estudantes universitário Marília Vergado e Christiano Pinha saíram da aula às 19h10 e permaneciam desde então na fila para comprar o bilhete do Metrô. Por volta das 20h, os guichês continuavam fechados.

Vander Antônio Lino afirmou, por volta das 20h, que esperava há pelo menos uma hora na estação Barra Funda. Ele precisa ir até a estação Arthur Alvim e não quer ir de ônibus porque demora mais e ele já comprou o bilhete.

O Metrô informou que as portas foram fechadas para "conter o fluxo de pessoas e garantir a segurança dos usuários". A liberação de entrada de pessoas, segundo a empresa, vai acontecer gradualmente, conforme a plataforma for esvaziando. Não há previsão para a normalização do sistema.

*Colaborou Miguel Arcanjo, editor de Famosos e TV do R7

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.