Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

PT pede que Polícia Federal investigue suposta "central de espionagem" tucana

/ On : quarta-feira, outubro 20, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

Camila Campanerut

Do UOL Eleições
Em Brasília

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, anunciou que a legenda deve entrar com ação na Polícia Federal para que seja investigada a suposta “central de espionagem” tucana, que seria liderada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ). O partido quer apurar a possibilidade de o deputado ter comandado a quebra de sigilo fiscal na Receita Federal de pessoas ligadas ao presidenciável José Serra (PSDB).
“No nosso entendimento, ainda há um episódio a ser esclarecido [sobre o caso de vazamento de dados]: a motivação. A motivação, segundo o relato feito hoje pela PF, seria a existência de uma central de espionagem para investigar o então governador de Minas Gerais, Aécio Neves. E, a partir daí, segundo depoimento do jornalista [Amaury Ribeiro Jr.], ele começou a investigar pessoas ligadas ao então governador de São Paulo, José Serra”, disse Dutra em entrevista coletiva realizada na sede do PT Nacional, nesta quarta-feira (20), em Brasília. 
Dutra ainda pedirá à PF que permita ao partido, acessar os autos do inquérito, cujos trechos já vêm sendo vazados para a imprensa.
“A nossa satisfação é comprovar o que dizíamos desde o início. Em momento algum, houve qualquer ligação, qualquer solicitação, qualquer pedido, qualquer encomenda do PT ou da campanha de Dilma Rousseff relativa à quebra de sigilo ou à montagem de dossiê”, reiterou o líder petista.
Na época da quebra de sigilo, os tucanos José Serra e Aécio Neves disputavam, internamente no PSDB, quem seria o candidato da legenda ao Palácio do Planalto. E Itagiba atuaria em favor de Serra.
Informação da PF
Mais cedo, o diretor da Polícia Federal Luiz Fernando Correa chamou a imprensa para informar alguns resultados do inquérito sobre quebra de sigilo fiscal de tucanos, ocorrida entre setembro e outubro de 2009, com o envolvimento de servidores da Receita Federal, despachantes e clientes que encomendavam os dados.
Em 120 dias de investigação, o caso está em sua fase final. Sete pessoas foram indiciadas e 37 pessoas prestaram depoimentos. Com a conclusão das diligências, o inquérito será encaminhado à 12ª Vara Federal do Distrito Federal.
Segundo a PF, as provas colhidas apontam que o jornalista Amaury Ribeiro Jr. utilizou os serviços de levantamento de informações de empresas e pessoas físicas desde o final de 2008 no interesse de investigações próprias.
“Os dados violados foram utilizados para a confecção de relatórios, mas não foi comprovada sua utilização em campanha política”, afirmou a polícia em nota.

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.