Editorial TSP Educação Eleições Contas Públicas Imprensa Política Precatórios Privatizações Saneamento Saúde Segurança Pública Servidores Transporte
Agora São Paulo Assembléia Permanente Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Vi o Mundo
Canal no You Tube
Agora São Paulo Assembléia Permanente BBC Brasil Brasília Confidencial Carta Capital Cloaca News Conversa Afiada Cutucando de Leve FBI - Festival de Besteiras na Imprensa Jornal Flit Paralisante NaMaria News Rede Brasil Atual Reuters Brasil Vi o Mundo

terça-feira, 25 de maio de 2010

Quase um quarto dos eleitores de José Serra afirmaram que votarão “com certeza” no candidato apoiado pelo presidente Lula

/ On : terça-feira, maio 25, 2010 - Contribua com o Transparência São Paulo; envie seu artigo ou sugestão para o email: transparenciasaopaulo@gmail.com

O marketing de Serra é a desinformação

A gente nem sempre consegue analisar tudo e, quando os editores deixam, há muita vida inteligente na imprensa brasileira.

Vejam que interessante essa matéria publicada à noite noEstadão:
Quase um quarto dos eleitores de José Serra (PSDB) manifestou um comportamento dúbio e paradoxal na última pesquisa Datafolha: eles também afirmaram que votarão “com certeza” no candidato apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Nesse contingente há brasileiros que dizem ignorar a opção eleitoral de Lula, mas também os que estão convictos de que o presidente apoia Serra. Quase um décimo dos eleitores do tucano pensa assim.
Menos da metade dos serristas afirma que não votaria em um candidato apoiado por Lula. Outros 26% dizem que talvez o façam, e 23% anunciam que seguirão “com certeza” a opção de voto do presidente.
Os eleitores com “duas caras” são cerca de 11,5 milhões. Até a eleição, eles terão de se posicionar de maneira coerente: ou abandonarão o barco lulista ou votarão na pessoa efetivamente apoiada pelo presidente, conforme sua intenção declarada.
Portanto, fica claro que a estratégia do serrismo, além de se fingir “lulista” é a de não deixar que a população saiba que Dilma é a candidata de Lula. Por isso a ofensiva judicial contra o presidente. Não é preocupação legalista, é o marketing da desinformação.
Não preciso dizer aqui o que é tentar usar a falta de informação e esclarecimento do povo mais humilde para tentar tirar proveito eleitoral.
Nem preciso dizer que nenhum tucano é burro o suficiente para, com a campanha eleitoral pra valer, achar que a imagem de Lula, com a mão no ombro de Dilma, dizendo: “é ela, não é ele” vá manter este eleitorado com Serra.
A aposta é a confusão, as sanções judiciais, a provocação.
É por isso que alguns acham que a gente deve, pacientemente, seguir apanhando quieto. Outros, como eu, acham que isso é nos deixar expostos ao impensável.
Existe algo muito interessante no Direito. Chama-se “pré-questionamento”. Para você contestar uma decisão sobre lei federal ou princípio constitucional nas instâncias supremas, é preciso ter dito isso antes.
Se não fizer antes, não poderá fazê-lo depois.
Na política, quando você aceita passivamente algo e, depois, quer contestá-lo, acontece algo semelhante.
A população, tal como o juízes, dirá: agora? Mas como, se antes você não tinha nem sequer falado nisso?

do blog Tijolaço.com

Twitter

Privatizações

Privatizações
Memórias do Saqueio: como o patrimônio construído com o trabalho e os impostos do povo paulista foi vendido
 
Copyright Transparência São Paulo - segurança, educação, saúde, trânsito e transporte, servidores © 2010 - All right reserved - Using Blueceria Blogspot Theme
Best viewed with Mozilla, IE, Google Chrome and Opera.